FANDOM


É o protagonista de Prison Break. Ele é interpretado pelo ator Wenworth Miller, 31 anos.

Dylan Minnette interpretou Michael jovem.
Michaelscfofield

Michael Scofield, principal personagem de Prison Break

    CARACTERISTICA

| NOME :Michael Scofield | Imagem=Michaelscfofield

| Status



Michael Scofield foi o personagem principal na série de televisão americana Prison Break. O personagem era retratado por Wentworth Miller. Michael tem 31 anos e um QI superior superior ao normal. O personagem apareceu pela primeira vez no episódio piloto da série como um homem que assaltava um banco, a fim de ser mandado para a prisão onde o seu irmão mais velho, Lincoln Burrows (Dominic Purcell), está preso até a sua execução. A trama de Prison Break gira em torno dos dois irmãos e o plano de Michael para ajudar Lincoln a escapar da cadeira elétrica. Como personagem principal, Michael aparece em cada episódio da série. Embora Lincoln e Michael sejam os protagonistas da série, Michael aparece mais extensivamente que Lincoln, especialmente na primeira e na terceira temporada. Vários episódios flashbacks subsequentes fornecem mais informações sobre a relação entre Michael e seu irmão Lincoln, e as razões por trás da determinação em ajudar Lincoln a escapar do corredor da morte. Em episódios de flashback, o jovem Michael era interpretado por Dylan Minette. Voltando ao passado

Depois que seu pai, Aldo Burrows, abandonou a família, Michael teve o sobrenome de solteira da mãe, pois ela lhe disse que seu pai era um alcoólatra, que mais tarde foi provado o contrário. Após a morte de sua mãe (que é encontrada viva na 4° temporada), causada por um aneurisma cerebral, Lincoln se tornou o guardião de Michael. Os dois permaneceram por um longo tempo em diferentes casas de adoção. Embora a ordem fosse que os dois ficassem juntos, algumas vezes foram separados. Michael foi adotado por um pai violento, que mais tarde foi morto por Aldo, pai de Michael, que o resgatou, embora o assassinato em si nunca tenha sido resolvido. Quando Michael acordasse sem saber onde estava seu irmão, sempre havia ao lado de sua cama, um origami, significando que seu irmão estava cuidando dele.

Em Morton East High School em Cicero, Illinois, Michael teve aulas de Artes e Ofícios, que teve uma seção para origami. Ele foi imediatamente atraído para a precisão e paciência, tendo uma maneira diferente de enxergar os objetos, com maior atenção às coisas que pessoas comuns não prestam atenção no mesmo, como a estrutura de um abajur, por exemplo. Essa habilidade se tornou ainda mais forte na fase adulta. Ele foi um talentoso aluno com notas impecáveis, com Bacharelado em Engenharia Civil na Loyola University em Chicago e Mestrado em Ciências, trabalhando posteriormente na empresa de Middleton, Maxwell & Schaum, no centro da cidade de Chicago. O décimo sexto episódio da série, "Brother's Keeper/O Guardião do Irmão", revela o relacionamento de Michael e Lincoln três anos antes de Lincoln ser preso em Fox River e o motivo de Michael chegar ao extremo para salvar seu irmão da morte. Michael descobre os sacrifícios que o irmão passou por ele, e decide ajudar Lincoln. Aparições em PRISON BREAK Primeira Temporada

A cena de abertura da série mostra Michael concluindo a preparação do seu plano para se infiltrar na Penitenciária Estadual Fox River; a tatuadora está aplicando os últimos retoques na tatuagem de Michael, que é uma figura importante na primeira temporada. Para ser preso em Fox River, Michael assalta um banco, e no julgamento demonstra conformação com a pena de 5 anos, e pede que seja enviado para a prisão mais próxima de sua casa, na qual seria, Fox River. Michael começa sua pena em 11 de abril, exatamente um mês antes da execução de Lincoln. Uma vez lá, ele examina todos os pormenores relativos à prisão e os seus prisioneiros. Sabendo dos antecedentes educacionais de Scofield, prisioneiros e guardas se perguntavam por que um homem com as credenciais de Michael, e com a vida privilegiada que tinha, acabara em uma penitenciária estadual. Seus estranhos hábitos eram ainda mais intrigantes. Ele era frequentemente visto conversando discretamente com seu irmão, Lincoln Burrows, durante o tempo de trabalho na Indústria da prisão e na Capela; e ao fato de que ele olhava atentamente para cada espaço de Fox River desde o instante que foi preso, bem como a ser chamado pelo diretor da prisão, Henry Pope, que também estava surpreso da presença de Michael numa prisão de segurança máxima.

A temporada segue com Michael pondo seu plano em ação, encontrando vários obstáculos durante o trajeto. Nos primeiros 13 episódios, Michael tem um único objetivo, criar uma rota de fuga para fora da prisão. No decorrer dos dias, ele fala com pessoas para ajudá-lo na fuga: seu companheiro de cela Fernando Sucre (Amaury Nolasco) para ajudá-lo a cavar, o chefe da máfia, John Abruzzi (Peter Stormare) que além de fornecer emprego à ele e Lincoln na indústria da prisão, forneceria o transporte aéreo para fugirem, e Charles Westmoreland (Muse Watson), que na realidade é DB Cooper e pode ajudá-los a sustentar suas vidas como fugitivos. Na ficha de Michael, a informação é que ele possui diabetes tipo 1, dando-lhe acesso diário à enfermaria (ponto de fuga da prisão) o que acabou construindo um relacionamento com Dra. Sara Tancredi (Sarah Wayne Callies), filha do Governador de Illinois, Frank Tancredi (John Heard) e médica da prisão. Após concordar em ajudar Warden Henry Pope (Stacy Keach) a terminar a réplica de seu Taj Mahal na sua sala, Michael também constrói uma amizade com Pope. Também foram necessárias algumas “loucuras” para conseguir o que era necessário para a fuga. Após a perda de um pedaço da tatuagem, por conta do contato de parte de suas costas com um cano de metal quente, que causou uma grave queimadura, Michael precisava ser levado ao sanatório para encontrar um recente companheiro de cela, que havia decorado sua tatuagem na mente.

O relacionamento de Michael e Sara é caracterizado no décimo nono episódio, “A Chave”, onde ele não consegue roubar a chave da enfermaria dela. Embora ela descubra sobre a verdadeira motivação de Michael estar na enfermaria no episódio seguinte, Sara decide ajudar Michael, deixando a porta da enfermaria destravada na noite da fuga. No fim da temporada, Michael finalmente consegue ajudar seu irmão a fugir de Fox River, através da janela da enfermaria, mas também ajuda a fuga de seis outros prisioneiros, entre eles T-Bag, um assassino e pedófilo condenado à prisão perpétua.

Segunda Temporada

Na segunda temporada da série, a história continua girando em torno de Michael, seu irmão e outros fugitivos, enquanto eles tentam fugir das autoridades Federais. Fora da prisão, Michael e Lincoln aparecem quase sempre juntos nos primeiros sete episódios. Os dois viajam juntos, depois de separados dos outros fugitivos, para realizar seus objetivos. Quando eles não conseguem resgatar LJ Burrows, antes de seu julgamento, decidem encontrar o dinheiro escondido de Westmoreland/DB Cooper em Utah. Lá, eles se reúnem novamente com quatro, dos seis fugitivos novamente: Sucre, C-Note (Rockmond Dunbar), T-Bag (Robert Knepper) e Tweener (Lane Garrison).

O sétimo episódio da temporada, "Buried/Enterrado" marca a primeira vez que Lincoln e Michael se separam, quando Lincoln decide ir atrás de seu filho, LJ, que foi libertado da prisão. Michael não consegue recuperar o dinheiro depois de ter sido enganado por T-Bag. No entanto, Michael continua a executar o seu plano a fim de encontrar o coiote, na localização de 'Bolshoi Booze'. Antes de partir para 'Bolshoi Booze', Michael se encontra com Sara num local que ele codificou através de origamis enviados à ela por cartas. Depois, Michael chega em ‘Bolshoi Booze’, local para uma fuga de avião para o México. Lá, Michael está com Lincoln, Sucre e seu pai, Aldo Burrows (Anthony Denison).

Quando Aldo é morto por agente Alexander Mahone (William Fichtner), Michael e Lincoln decidem enfrentar "A Companhia" e despedem-se de Sucre, que partiu em fuga no avião para o México. Após uma curta captura por Mahone, Michael e Lincoln são auxiliadas para escapar por Paul Kellerman (Paul Adelstein), que se volta contra "A Companhia", em um ato de auto-preservação. Kellerman leva-os para Terrence Steadman, o homem que Lincoln é acusado de assassinato. O suicídio de Steadman força Michael, Lincoln e Kellerman a encontrar Sara, pois ela possui a chave para achar as informações que podem expor a conspiração de “A Companhia”. Depois de Sara se juntar a Michael, Lincoln e Kellerman, eles vão a Chicago, onde o pai de Sara deixou a informação no armário de uma casa de charutos, antes de morrer. No caminho, Sara diz a Michael que se apaixonou por ele, e que quebrou a principal regra do presídio, a de não se apaixonar por um detento. E mais tarde, no mesmo episódio, Michael revela que sente o mesmo por Sara.

Com a ajuda do ex-diretor de Fox River, Henry Pope, Michael e Sara tiveram êxito em obter o pen-drive no armário privado de Frank Tancredi na casa de charutos. Depois de deixarem Kellerman para trás, Lincoln, Michael e Sara logo descobrem que a conversa gravada no pen-drive não poderia ser utilizada como prova de que Terrence sempre esteve vivo, devido à modificação da data de criação do arquivo. Com mais essa falha, Michael e Lincoln são forçados a fugir ao Panamá, e deixar Sara para trás, após ela ser presa. Ao descobrir que T-Bag estava em Panamá, Michael decide ir atrás dele e capturá-lo para entregá-lo à polícia, tendo sucesso. No entanto, quando Michael retorna ao barco com o dinheiro de Westmoreland, Lincoln não se encontra no local, então ele recebe um telefonema de Mahone, que exige o barco e o dinheiro em troca da vida de Lincoln. Michael arma para Mahone ser pego com drogas no barco e escapa com Lincoln e a mochila de cinco milhões de dólares. Em seu novo barco, Michael e Lincoln voltam a ver Sara, que lhes diz que Lincoln e ela foram inocentados após o testemunho de Kellerman, que tinha provas o bastante para acabar com “A Companhia”.

Mas a felicidade dos três dura pouco... o agente Kim (Reggie Lee) chega no local onde eles estão e ameaça matar Lincoln e levar Michael para Sona, que faz com que Sara mate-o. Enquanto os três fogem da cena do crime com a polícia seguindo-os , Michael e Sara se separam de Lincoln e acabam rodeados por policiais numa pequena cabana. Após expressarem seu amor um pelo outro, eles deixam a cabana. Sem o conhecimento de Sara, Michael confessa que matou Kim e é preso no lugar de Sara. Michael é preso em seguida, na Penitenciária Federal de Sona. Michael é o quinto membro, dos oito que fugiram de Fox River, a ser pego pelas autoridades e, o segundo membro que não morreu mediante intercepção.

Terceira Temporada

No primeiro episódio da temporada, Michael testemunha um brutal duelo entre detentos, a forma usual de resolução de problemas em Sona, onde somente um detento sai vivo. Ele involuntariamente se torna um inimigo de um dos detentos mais influentes e poderosos presos em Sona, um homem chamado Lechero. Ele é rapidamente informado através de Lincoln, agora um homem inocente, que “A Companhia” precisa dele para tirar alguém de Sona (James Whistler), e que fizeram Sara e LJ de reféns para garantir a sua cooperação. Ele começou a procurar por Whistler, e acabou descobrindo que Whistler tinha um prêmio por sua cabeça: quem o matasse receberia exoneração do prefeito de Panamá. Assim, Whistler estava se escondendo no esgoto de Sona. Michael finalmente encontrou um jeito de livrar Whistler do problema, fazendo um grande favor à Luchero, que havia estado em apuros, e que tirou o prêmio da cabeça de Whistler como recompensa pela ajuda.

Com sete dias para tirar Whistler da prisão, Michael tentou “fazer justiça com suas próprias mãos”, entrando em contato com Sara e recebendo uma mensagem codificada sobre sua localização. Ele passou as informações para Lincoln, que tentou resgatar Sara e LJ, e o resultado foi a ‘morte’ de Sara. Michael então propositadamente desliga a energia da prisão, fazendo com que Lechero o chame para solucionar o problema. Michael então repõe a energia de prisão e também restaura a energia de uma das cercas elétricas quebradas. Mais tarde é revelado que Michael fez isso, pois a alta temperatura da cerca vai superaquecer um produto químico que Sucre (que foi contratado como o novo coveiro da prisão) aplicou sobre a mesma, produto esse capaz de derreter aço.

Michael passa a vigiar os guardas de Sona, mas é visto pelo segundo, devido aos reflexos da lente do binóculo. Ele observou que, exatamente às 15:13, haveria sol no rosto de um dos guardas, fazendo-o olhar para o outro lado. Após um pequeno ataque dos guardas, os prisioneiros são enfileirados no quintal. Capitão Hurtado faz perguntas à Michael perguntas a ponto de apontar uma pistola para a cabeça de Michael. Whistler acaba intervindo em nome de Michael. Com a ajuda de Mahone, Michael concluiu que drogar um dos guardas pelo café, poderia ser de ajuda para o pelo funcionamento do plano. Com o plano ainda em andamento, Michael finalmente descobre sobre a morte da Sara, que tem um impacto devastador sobre ele. Em um momento de fraqueza ele desafia Whistler para um duelo de morte, que mais tarde se revela ser somente um dos passos para a fuga dar certo. A fuga, em última instância, falha.

Quando a empresa decide resgatar Whistler sem a ajuda de Michael, o mesmo não tem envolvimento com o plano, mas acaba sendo acusado de estar envolvido na operação. No final do episódio ele está sendo escoltado para fora de SONA e é mantido na solitária, sendo interrogado. Aos poucos ele conta aos guardas o que sabe sobre Whistler, que depois revelou que Gretchen Morgan estaria no comando da operação. Mais tarde, Michael descobre que os guardas que encontraram Gretchen foram mortos. Michael e Whistler são levados de volta para dentro de SONA. Assim que chegaram, voltaram-se para um novo plano de fuga, através de um túnel subterrâneo, no qual precisavam de ajuda de Lechero, o único que tinha acesso aos túneis da prisão.

Mais tarde nos túneis com Mahone, Lechero e Whistler, Michael diz que eles precisam de suportes para segurar o túnel de fuga. Ou seja, quando parte do túnel estiver prestes a cair, Michael coloca um pedaço de metal em cima para segurar a estrutura. O seu plano de fuga foi comprometido por Sammy que investigara a sua fuga em SONA, mas ele acabou sendo morto depois do túnel cair sobre ele. É então revelado que Michael matou Sammy, por ter removido o suporte de metal do túnel. McGrady se junta à equipe de fuga, por ter ajudado Michael de várias maneiras na prisão. Finalmente Michael, Whistler, Mahone e McGrady escapam de Sona, sem Lechero, T-Bag e Bellick, que foram capturados na fuga.

Michael faz a troca de Whistler por LJ e Sofia, com segurança, estragando os verdadeiros planos de Gretchen. Quando começa um tiroteio no museu do Panamá, onde foi feita a troca, Michael pega a arma de Lincoln no carro e mira em Gretchen, mas ela escapa quando a polícia começa a disparar contra ela. Mais tarde, fora do hospital, LJ entrega à Michael o mesmo origami rosa que ele havia dado a Sara no seu aniversário. Com sede de vingança, Michael dá adeus à sua família e sai para uma caçada atrás de Gretchen, que ‘matou’ Sara. Quarta Temporada

No primeiro episódio da temporada, Michael segue Gretchen e Whistler até Los Angeles, preparando-se para vingar a morte de Sara. No entanto, como ele tem a arma apontada para Gretchen, ela acaba lhe revelando que tinha mentido sobre a morte de Sara. Sem saber se podia ou não acreditar nela, Michael fala com Lincoln e, em seguida, com Bruce. Quando Michael e Lincoln são pegos, Don Self diz-lhes que devem obter Scylla (cartão que, supostamente, armazena todos os bits de informação sobre a Companhia - essencialmente seu "livrinho preto") para derrubar “A Companhia”, ou voltam para a prisão. Eles recusam e são levados por Bruce. Bruce leva-os a Sara que reencontra Michael com muita felicidade. No entanto, um assassino contratado pela Companhia, chamado Wyatt, passa a caçá-los e tenta assassiná-los na casa em que Sara está. É então que Michael e todos os outros decidem aceitar a oferta de Self. Eles se unem a Mahone, Sucre e Bellick na sua missão. Para misturar-se com as multidões, Michael começa removendo suas tatuagens através de cirurgia a laser. Ao longo de alguns episódios, Michael é visto enfrentando problemas de saúde, com hemorragias nasais e frequentemente tendo dores de cabeça. Ele esconde sua doença de Lincoln e Sara, mas no episódio “Safe and Sound", Michael tem sangramentos no nariz que ele não pôde esconder de Lincoln. Michael disse ao irmão: "Não é nada demais...". Lincoln responde: "Foi uma grande coisa quando você tinha treze anos...". Parece que a mãe de Michael e Lincoln teve o mesmo problema que Michael na infância. Ela também teve hemorragias nasais frequentes que pararam depois de alguns meses, mas reapareceram quando ela era mais velha, pouco antes de morrer, aos 31 anos, de um aneurisma cerebral. Michael está tendo hemorragias nasais, pela primeira vez desde os 13 anos e está prestes a completar 31. No episódio "The Legend/A Lenda", Michael já não é capaz de esconder sua doença, desmaiando no armazém. Sara leva Michael para o hospital, onde os médicos dão o diagnóstico de hamartoma hipotalâmico a Michael, aconselhando que a cirurgia seja feita imediatamente, ou então ele poderia morrer.

Disposto a continuar na operação até obter Scylla, Michael recebe tratamento temporário de Sara, através de injeções, e vai em frente com os seus planos. Embora o grupo finalmente tenha conseguido ficar com Scylla, Self acaba traindo o grupo e levando Scylla com si próprio, vendendo-o para um comprador. Michael, no entanto, tem em mãos um pequeno pedaço de Scylla e Self precisa do mesmo para fazer Scylla completa. Self volta para encontrar Michael e atira contra o armazém com uma metralhadora e um tanque de gás para tentar forçá-los a sair. Felizmente, Lincoln não estava no armazém no momento e após a descoberta do carro de Self do lado de fora, ele encontra Self no topo de um edifício e bate na parte de trás da cabeça do mesmo. Eles trazem Self para dentro, e quando estão prestes a pegar Scylla, Gretchen aponta a arma para o grupo, deixando Self fugir. Todos, exceto Mahone deixam o hotel, e Self e Gretchen permanecem ali. Michael coloca a escada fora do lugar para que quando Self tente escapar, a escada se solte e Self caia no chão. Michael aproveita esta oportunidade para pegar Scylla, enquanto Self encontra-se inconsciente. Mas quando Michael está fugindo seu nariz começa a sangrar muito. Ele começa a perder o seu equilíbrio e consciência, caindo no chão, deixando o caminho livre para Self pegar Scylla de volta. Self se prepara para atirar em Michael quando os agentes da companhia aparecem e começam a atirar em Self. Self entra na van onde Gretchen está e eles fogem. Os agentes da companhia levantam Michael, ainda inconsciente, e saem com ele em uma van, com Lincoln correndo atrás deles.

Michael é mostrado em uma cama hospitalar com várias máquinas ligadas a ele. Michael sente alguém lhe tocando; era General Krantz. Lincoln visita “A Companhia” e pede que Krantz leve-o para ver seu irmão. O General leva Lincoln a Michael, assegurando-lhe que Michael está sob os melhores cuidados médicos e que a tecnologia da Companhia está anos à frente do que é oferecido a outras pessoas atualmente. Ele também diz a Lincoln que a única maneira para operar Michael e salvar sua vida é que Lincoln consiga Scylla de volta. Além disso, o General Krantz dá a Lincoln uma pasta que diz "Tombstone II", dizendo-lhe que servirá como um "novo incentivo". Com Mahone detido pela agente Lang e pelo agente Wheeler, cabe agora a Lincoln, Sucre, e Sara resgatar Scylla de Self e Gretchen, para salvar Michael.

Com Sara ao seu lado, Michael acorda desorientado e fraco. Ele pergunta em qual hospital está, mas Sara apenas o assegura que não é necessário se preocupar com isso e que há bons médicos ali para tratá-lo. Enquanto Lincoln e Sucre vão atrás de Scylla, Sara fica com Michael e o observa enquanto ele passa por uma cirurgia. No entanto, o processo que os médicos da companhia usaram em Michael não é nada comum para Sara. Krantz disse a ela que o procedimento é experimental, e foi utilizado uma única vez, em um paciente que acabou tendo uma vida longa e feliz. Por causa da cirurgia, todos os sentidos de Michael tornaram-se ativos ao mesmo tempo, tendo um flash de toda sua vida, em um piscar de olhos. De repente, Michael se vê novamente em sua antiga cela de Fox River, com Charles Westmoreland saudando ele. Enquanto conversa com Westmoreland e tenta descobrir a verdade por trás Scylla no seu subconsciente, Michael está morrendo na mesa de cirurgia. Os médicos da Companhia injetam um soro desconhecido em Michael enquanto Sara, muito assustada ao lado de Michael, diz para ele não desistir. Após finalmente saber o que é Scylla e ouvir a voz de Sara, Michael acorda. Mais tarde, Michael diz a Sara que teve um sonho sobre Scylla, e explica que Scylla, na verdade, não é o “livrinho preto” da Companhia, mas a receita de uma combinação química que pode produzir energia equivalente a do sol. Lincoln visita Michael um pouco depois, que fica chocado ao descobrir que o irmão está disposto a trabalhar com a Companhia para obter Scylla. Ele tenta convencer Lincoln que o que ele está fazendo é errado, e que a Companhia não é confiável, mas Lincoln dá a Michael o "Tombstone II", pasta que revela que sua mãe trabalhava para a Companhia antes de morrer, e que ele está simplesmente seguindo o "negócio da família." Características

No episódio de flashback da primeira temporada, "Brother's Keeper/O Guardião do Irmão”, Michael descobre sobre a dívida de US$ 90.000 de Lincoln, para pagar seus estudos, porém, Michael começa a ver seu irmão de uma maneira diferente. Segundo o autor, Paul Scheuring, isso foi enfatizado por meio do desempenho dos atores em suas diferentes alturas e na utilização de ângulos diferentes na câmera. Seu sentimento de culpa e “obrigação familiar” lhe faz dedicar todo seu tempo para o caso do irmão. Quando ele percebe que não pode ajudar seu irmão através de quaisquer meios legais e as últimas apelações de Lincoln são negadas, Michael decide fazer justiça com suas próprias mãos.

Michael foi clinicamente diagnosticado como tendo baixa inibição latente, uma condição em que o cérebro é mais aberto a receber estímulos do ambiente circundante. Como resultado desta condição, ele não é capaz de bloquear informações periféricas, processando todos os aspectos e pormenores de qualquer coisa ou objeto. Isto, combinado com um alto QI, como um psiquiatra explica no episódio "Tweener", teoricamente faz dele um gênio criativo. Sua inteligência é notada até mesmo por seus inimigos, como Mahone, que durante a segunda temporada faz diversas observações sobre a inteligência de Michael, tendo até mesmo certa admiração por ele como disse no episódio "Otis". Após sair de duas prisões (Fox River e Sona), lhe é oferecido um lugar na sociedade. Este atributo é aparentemente o resultado da sua experiência durante a infância, onde, seu pai de criação, muitas vezes o deixava trancado dentro de um quarto escuro. Lá dentro, os olhos de Michael ajustavam-se ao ambiente escuro, permitindo-lhe enxergar todos os objetos em sua volta, podendo usá-los para sua própria conveniência. Por conta de um sentimento de abandono durante a infância, Michael não tem qualquer auto-estima. Com a baixa inibição latente, Michael acabou se tornando mais preocupado com todos que sofriam ao seu redor, do que consigo mesmo.

Michael Scofield tem um enorme senso moral e um grande coração. Ele sabe que se ele, ou seus aliados, matarem seus inimigos, vão acabar com si mesmos. Brad Bellick, Theodore "T-Bag" Bagwell, Alexander Mahone, James Whistler e Gretchen Morgan; todas essas pessoas, que tem muito sangue em suas mãos, estão vivas. O único momento em que Michael matou alguém foi quando deixou o túnel de fuga, em SONA, desabar intencionalmente em cima de Sammy, para salvar a vida do grupo e seguir com o plano.


Conceito e Criação
Criação do Personagem

O personagem foi criado após Paul Scheuring, o criador de Prison Break , ter tido a idéia de criar um personagem que seria preso para tirar alguém da prisão. Em seguida, Scheuring justificou as circunstâncias da história, e como seria possível alguém planejar uma fuga dessa maneira. Foi assim que Michael se tornou um engenheiro civil, que trabalhava numa empresa de arquitetura que teve acesso as plantas da prisão.

O intérprete de Michael Scofield

Michael Scofield é retratado por Wentworth Miller. Em grande parte da primeira temporada da série, Miller utilizou poucas expressões faciais, já que muito se concentrava no poder de seu olhar frio e enigmático formado pelo par de olhos verde-acinzentados do ator, o que gerou críticas tanto positivas como negativas. Foi por seu desempenho na primeira temporada que Miller foi nomeado para o Globo de Ouro. No que diz respeito a seu personagem, Miller diz: "Na primeira temporada, acho que parte do meu desafio foi o de criar um personagem vulnerável. Mas ao mesmo tempo, havia muitas coisas que eu nunca poderia mostrar. Ao lado de Abruzzi, T-Bag ou Bellick, eu não podia me dar ao luxo de ser vulnerável. Eu não podia sorrir.” Na segunda temporada, o personagem apresenta uma vasta gama de emoções. Miller explica: "Ele vai ter alguns leves e coloridos tons a mais... agora que ele está fora da prisão, com o seu irmão, com quem eu acho que Michael está disposto a mostrar um lado que ele não mostra aos outros, há muito mais que eu possa explorar.”

A Tatuagem

A tatuagem, que cobre toda a parte superior do corpo de Michael Scofield, é mostrada frequentemente na primeira temporada da série, e em menor medida, na segunda temporada. Ela contribui para grande parte do enredo da série, contendo várias informações do plano de fuga do protagonista, Michael Scofield. As plantas da prisão estão incorporadas na tatuagem, o que é mostrado durante a primeira temporada. Wentworth Miller, que interpreta Michael Scofield, comentou que acredita que a tatuagem está entre as questões mais frequentes em suas entrevistas sobre a série. No primeiro episódio da quarta temporada, Michael se recusou a tomar quaisquer analgésicos durante uma longa noite, em que houve uma seção de retirada das tatuagens através de cirurgia à laser.